Terça-feira, Junho 25, 2024
spot_imgspot_imgspot_imgspot_img
spot_imgspot_imgspot_imgspot_img
InícioNotíciasEsportesLuto triplo: em menos de 24h morrem três ícones do jornalismo esportivo...

Luto triplo: em menos de 24h morrem três ícones do jornalismo esportivo brasileiro

"Olho no lance"; "Chocolate"; "Amigão": expressões que ficaram famosas nas carreiras dos três profissionais que morreram nas últimas horas

spot_imgspot_imgspot_imgspot_img

A noite de quarta-feira (15) trouxe uma triste notícia para o jornalismo esportivo, com a morte do apresentador e comentarista esportivo Washington Rodrigues, o Apolinho, da Super Rádio Tupi. Mas para quem já sentia a perda de um dos maiores ícones brasileiros do rádio, a quinta-feira (16) amanheceu com mais dois lamentáveis avisos: os falecimentos do comentarista da ESPN Antero Greco e do narrador Silvio Luiz.

Em menos de 24 horas o jornalismo esportivo enfrenta o luto pela perda de algumas das suas principais referências no rádio e na tv.

Apolinho estava internado no Hospital Samaritano, no Rio de Janeiro, em tratamento de um câncer e morreu aos 87 anos de idade. Recentemente, ele ainda participava de transmissões esportivas ao lado do narrador, seu colega e amigo José Carlos Araújo, o Garotinho. Outro colega seu de longa data, o narrador esportivo Luiz Penido, chorou ao vivo durante a transmissão do jogo do Flamengo na Copa Libertadores, pela Rádio Tupi, quando teve que comunicar a morte de Apolinho. Para quem não sabia, o comentarista foi o criador de bordões que ficaram famosos no mundo do futebol, como “chocolate“, ao se referir a uma goleada. Ele se baseou na música “El Bodeguero”, interpretada por Nat King Cole, para usar o bordão pela primeira vez, em 1980.

Já o jornalista Antero Greco, de 69 anos, morreu na madrugada desta quinta-feira (16). Ele estava internado no Hospital Beneficência Portuguesa, em São Paulo e lutava contra um tumor cerebral desde junho de 2022. Ao lado de “Amigão“, como se referia ao colega Paulo Soares, na bancada do programa SportsCenter, da ESPN, Greco protagonizou brincadeiras e comentários que muitas vezes iam para além do futebol.

E como se o correr das horas não quisesse poupar o amante do jornalismo esportivo, a quinta-feira ainda traz a notícia da morte de Silvio Luiz, uma lenda da narração do futebol na tv. Silvio tinha 89 anos e faleceu em decorrência de falência de múltiplos órgãos. Ele morreu nesta quinta, em São Paulo. O último trabalho de Silvio como narrador foi na TV Record, mas passou por Rede TV, Bandeirantes e SBT, onde também narrou a Copa do Mundo de 1994. Os bordões tornaram Silvio Luiz mais famoso no mundo esportivo. Quem é que não recorda do “Olho no lance, ééé…“. Além desse, outros como “confira comigo no replay“, “pelas barbas do profeta“, “pelo amor dos meus filhinhos“, “foi, foi, foi, foi ele…“, permearam a carreira do narrador.

Em meio ao clima de comoção que o Brasil passa pela tragédia vivida no Rio Grande do Sul, que levou também à suspensão temporária do campeonato brasileiro de futebol e à remarcação de outros jogos das equipes gaúchas, talvez haja o intervalo necessário para saudar esses ícones do “mundo falado da bola”, que influenciaram gerações e que mostraram que o futebol não é apenas uma bola rolando com 22 pessoas correndo em torno dela. As palavras eternizadas por essas referências do esporte no rádio e na tv nos mostram isso.

spot_imgspot_imgspot_imgspot_img
spot_imgspot_imgspot_imgspot_img
Arnaldo Zimmermann
Arnaldo Zimmermann é jornalista (Mtb 0005946/SC), com graduação, mestrado e doutorado em Jornalismo. Também possui graduação em Letras e especialização em Administração em Publicidade e Propaganda. É professor universitário desde 2001 e profissional de diversos veículos de comunicação do Vale do Itajaí desde 1985.
Mais Notícias desta Categoria
- Publicidade -spot_imgspot_imgspot_imgspot_img

Últimas Notícias