Quinta-feira, Julho 18, 2024
spot_imgspot_imgspot_imgspot_img
InícioNotíciasCultura e lazerLinguiça Blumenau e Queijo Kochkäse são patrimônios culturais imateriais de Santa Catarina

Linguiça Blumenau e Queijo Kochkäse são patrimônios culturais imateriais de Santa Catarina

Produtos tradicionais das colônias alemãs de Santa Catarina, o Queijo Kochkäse e a Linguiça Blumenau, iguarias típicas de imigrantes alemães, ganharam fama, viralizaram como ingredientes gourmet e receberam o título de patrimônios culturais e imateriais de Santa Catarina, conforme publicado no Diário Oficial do Estado, do dia 3 de junho de 2024.

Cabe à Companhia Integrada de Desenvolvimento Agrícola de Santa Catarina (Cidasc) orientar as regras que devem ser obedecidas pelos produtores para que estes produtos possam ser comercializados de forma segura, sem perder as características únicas que proporcionaram tão importante título nacional.

A Linguiça Blumenau é produzida em 16 municípios catarinenses do Vale do Itajaí e do Alto Vale do Itajaí há quase cem anos. A história da linguiça de carne suína pura e defumada de Blumenau começa no final do século XIX, quando imigrantes alemães se instalaram no Vale do Itajaí e adaptaram receitas de sua região de origem, a Pomerânia. O produto é fabricado somente com paleta, pernil e toucinho suínos. A Linguiça Blumenau passa pelo menos dois dias dentro de defumadores abastecidos com carvão e serragem, em um processo artesanal essencial para garantir as características únicas do produto e obteve junto ao Instituto Nacional da Propriedade Industrial, o selo de Identificação Geográfica (IG), na espécie Indicação de Procedência (IP).

Queijo Kochkäse. Foto: Ascom/Cidasc

O Queijo Kochkäse ganha agora normas de qualidade e identidade, um produto tipicamente catarinense, produzido nos municípios originados nas primeiras colônias de imigração alemã de Santa Catarina: Blumenau e Dona Francisca. É um tipo de queijo branco cozido que ainda não tinha regulamentação, que é esfarelado, salgado e fermentado, para depois ser cozido em frigideira ou panela. O queijo derretido vai se transformando lentamente no Kochkäse. Também tem forte identificação com o modelo de agricultura local e guarda saberes culinários históricos deste povo. 

A regulamentação foi embasada por estudos microbiológicos e físico-químicos feitos pela Universidade Regional de Blumenau (Furb) e a partir do trabalho conjunto da Secretaria da Agricultura e Pecuária (SAR), Cidasc, Empresa de Pesquisa Agropecuária e Extensão Rural de Santa Catarina (Epagri) e Associação dos Municípios do Médio Vale do Itajaí (Ammvi). O trabalho para regulamentar o queijo tipo Kochkäse iniciou em 2016 e como resultado traz segurança alimentar para o produtor e consumidor, já que para a produção e comercialização do queijo a partir de leite cru, é necessário que o leite venha de propriedades certificadas como livres de brucelose e tuberculose. 

spot_imgspot_imgspot_imgspot_img
Redação
O Auditório é um Portal de Notícias e Reportagens com cobertura jornalística e informações atualizadas sobre os principais acontecimentos do Vale do Itajaí, Santa Catarina e Brasil. É produzido por jornalistas profissionais com larga experiência na região. Iniciado em outubro de 2021 em Blumenau (SC), O Auditório apresenta jornalismo com comprometimento ético junto ao seu público através de suas diversas editorias.
Mais Notícias desta Categoria
- Publicidade -
- Publicidade -

Últimas Notícias