Quarta-feira, Agosto 10, 2022
spot_imgspot_imgspot_imgspot_img
spot_imgspot_imgspot_imgspot_img
InícioCidadesBlumenauEspecial: 13 anos do maior desastre socioambiental da história de Blumenau

Especial: 13 anos do maior desastre socioambiental da história de Blumenau

Foram três meses chuvosos que encharcaram o solo da região antes da tragédia eclodir

spot_imgspot_imgspot_imgspot_img

Dia 22 de novembro de 2008 foi o início do maior desastre socioambiental da história de Blumenau. Há 13 anos, o município se deparou com uma combinação de enchente, enxurrada e deslizamentos de terras, resultando em um saldo de 24 pessoas mortas, 5.209 desabrigadas e 25 mil desalojadas entre as 103 mil atingidas. Na ocasião, muitas estradas desapareceram e a cidade ficou por vários dias sem abastecimento de água e sem energia elétrica.

No total foram 63 municípios de Santa Catarina que decretaram situação de emergência e 14 decretaram estado de calamidade pública, inclusive Blumenau. Em todo o estado houve 135 mortes na tragédia de novembro de 2008, com 1,5 milhões de pessoas afetadas pelas consequências das chuvas, a maior parte no Vale do Itajaí. Foram três meses chuvosos que encharcaram o solo da região.

Para pesquisadores da Universidade Regional de Blumenau (FURB), como a arquiteta e professora Cláudia Siebert, “o desastre de novembro de 2008 conjugou quatro causas imediatas: topografia acidentada; geologia frágil; precipitação intensa e prolongada que saturou o solo; e a ocupação desordenada”. A pesquisadora escreveu no livro “Desastre de 2008 no Vale do Itajaí” que o fenômeno daquele ano foi “uma tragédia anunciada”, em função da ocupação das áreas de risco de escorregamento.

A também pesquisadora Lúcia Sevegnani escreveu no mesmo livro um relato que representaria muito bem o que foi o desastre de 2008:

“Do final da tarde do dia 22 de novembro até o amanhecer de segunda-feira, dia 24, ecoaram gemidos e pedidos de socorro, abafados pelo ruído dos escorregamentos de encostas, de residências ruindo, da chuva que insistentemente caía e dos rios e riachos velozes que arrastavam pedras, árvores, fragmentos de construções e tudo mais que encontravam pelo caminho. Esse era o cenário nos morros e fundos de vale do médio e baixo vale do Itajaí” (SEVEGNANI et. al., 2009, p.116).

Centenas de casas em Blumenau desabaram ou ficaram ameaçadas durante o desastre de 2008. Foto: Marcelo Martins.

E para recordar a data, a Secretaria de Defesa Civil (Sedeci) preparou para a próxima segunda-feira, dia 22, na Rua Prof. José Ferreira da Silva, uma exposição de imagens e materiais alusivos ao evento climático,

Segundo o mote ostentado há bastante tempo pela Defesa Civil, o lema é: “Lembrar o passado para prevenir o futuro”. “A catástrofe de 2008 foi uma tragédia imensurável para a região, pois não se resumiu apenas a inundações, mas sim a um elevado número de deslizamentos de terra, que acabou atingindo o município quase por inteiro, deixando vários bairros e comunidades ilhadas, sem energia elétrica e água potável”, ressalta o secretário da pasta, Carlos Olímpio Menestrina.

Foto: Marcelo Martins

Esta matéria contou como base de pesquisa as seguintes publicações:

FRANK, Beate; SEVEGNANI, Lúcia (Orgs.). Desastre de 2008 no Vale do Itajaí. Água, gente e política. Blumenau: Agência de Água do Vale do Itajaí, 2009.

Prefeitura de Blumenau. blumenau.sc.gov.br

ZIMMERMANN, Arnaldo. A participação do público na cobertura radiofônica do desastre de 2008 em Blumenau [dissertação]. Florianópolis, Universidade Federal de Santa Catarina – UFSC, 2012.

spot_imgspot_imgspot_imgspot_img
spot_imgspot_imgspot_imgspot_img
Mais Notícias desta Categoria
- Publicidade -spot_imgspot_imgspot_imgspot_img

Últimas Notícias

Comentários Recentes